30
abr
11

O SUICÍDIO DE ADOLF HITLER


 A EXATOS 66 ANOS, COMETIA SUICÍDIO ADOLF HITLER. Isolado, dentro de seu Bunker, com sua mulher e o que ainda sobrara da Liderança Nazista (que, na verdade, insistiu em permanecer ao lado do ditador, para após tambem cometerem suicídio, pois a Ordem do Führer era “não se render, sob circunstância alguma“), somente após saber que o Exército Vermelho (os Russos, da então União Soviética), estava praticamente a um quarteirão do local onde estava o Bunker (para quem não sabe, Bunker é uma instalação subterrânea, a princípio auto-suficiente, para proteção de civis durante uma Guerra, e principalmente de lideranças políticas e militares, extratégicamente posicionado, de tal maneira que os inimigos não descubram, mas que o acesso aliado seja “facilitado”), Hitler decide cometer o mais covarde ato, de todos que executou: deciciu matar-se, deixando a quem ficasse vivo, a responsabilidade de todos os crimes, barbaridades e atrocidades que cometeu. Em um mundo onde, à cada dia que passa, surgem mais e mais grupos Neo-Nazistas, se faz necessário falar (e comemorar!) sobre o dia 30 de abril de 1945. Austríaco de nascimento, Hitler sob forma de Ditadura, impôs um regime político, baseado na “superioridade” dos Arianos, no seu entendimento, os povos de origem Germânica, como os austríacos, alemães e povos do Norte da Europa. Segundo Hitler, a Alemanha precisava de um “Espaço Vital“, o que se demonstra através de todos os países que invadiu e dominou, através da pior Guerra que a humanidade sofreu. Hitler era contra Capitalistas (naturalmente, aqueles que não davam dinheiro aos alemães), os Comunistas, povos Eslavos, Ciganos, Homossexuais, pessoas que sofriam de qualquer tipo de deformidade, física ou mental – um Ariano autêntico era “perfeito” – e, mesmo diante de todos estes absurdos, o que mais assusta: uma política governamental específica e inteiramente voltada para o extermínio total do povo Judeu, a quem Hitler e os Nazistas atribuíam todos os males da nação. A loucura  de Hitler era tamanha que, mesmo depois da abertura da Segunda-Frente de Batalhaa Soviética, decisiva para o fim da Guerra na Europa – a prioridade  da Alemanha Nazista e dos Territórios Ocupados não era a própria Guerra, mas sim a eliminação dos Judeus e, à seguir, a Guerra. Por isso, surgiram Campos de Extermínio como o de Awshivtz, que funcionava 24 horas por dia, cremando 400 corpos por dia. Tudo no intuito de executar, da forma mais eficiente, as ordens de Hitler. Tamanha maldade não poderia ter um final feliz, mas, mesmo olhando a “olhos frios“, Hitler para cumprir toda loucura do Regime Nazista, não teve como resistir às duas frentes de combate – Os Russos e seu famoso inverno, e do outro lado, os Ingleses, Franceses, as resistências dos países invadidos, além dos “descansados” Exécitos dos Estados Unidos e do Canadá, e mais próximo do fim da Guerra novos aliados, dentre os quais até o Brasil. A Força Aérea foi fundamental nessa fase da Segunda Guerra. Dada a magnitude dos combates, Hitler decide se refugiar no Bunker. Enquanto os demais líderes Nazistas viam abertamente a queda da Alemanha, Hitler obsecado se mantinha em sua Filosofia, e mandava executar qualquer Oficial que contrariasse suas ordens. Apenas o Dr. Albert Speer (condenado por 20 anos, em regime fechado, pelo Tribunal de Nuremberg) foi o único que contrariou, e até sabotou as ordens de Hitler, quando este ordenou “Terra Arrasada” : a crueldade de Hitler era tamanha, que a ordem era destruir tudo, antes da chegada do inimigo, ou, pelas palavras do Dr. Speer, Hitler estava condenando o próprio povo alemão à ruína, levando a Alemanha de volta para a Idade Média, ao que Hitler não se importou, alegando que “o povo se mostrou fraco demais para a Guerra“. “Terra Arrasada” era destruir pontes, linhas férreas, aeroportos, portos marítimos, estradas, represas de água, enfim, destruição total da Alemanha pelos próprios Nazistas. O Dr.  Speer não executou tais ordens, e disse isso pessoalmente a Hitler, o que a História comutou como “um gesto de muita coragem“. Desgastado, abandonado por Himmler, Göerin e Ribentropp, por exemplo, acredita-se que Hitler tenha sofrido uma Trombose. Com a invasão de Berlim pelos Russos, o fim de comunicações coerentes entre o Bunker e os Oficiais Comandantes, e a eminência de o Bunker ser descoberto, um dos maiores canalhas da face da Terra mostra-se quem é: como todo Ditador, muito poderoso diante dos fracos mas, como homem, um covarde até mesmo diante de seus próprios atos: decide-se casar, após 15 anos de convivência, com Eva Braum (que comete suicídio com ele), e um dia após, com a Defesa de Berlim já até sem munições, chama um Oficial da SS, e lhe ordena cremar seus corpos, o dele e do da esposa. Após o suicídio de Hitler, cavou-se uma cova, e ambos foram incinerados com 200 litros de gasolina. Não se sabe, até o momento, se realmente os Russos encontraram esses restos mortais. O Reich que Hitler disse que duraria um milênio acabou assim: um país inteiro em ruínas, em virtude dos sistemáticos bombardeiros aliados, uma Europa em caos, a Alemanha dividida em duas, 60 milhões de mortos, dentre os quais, 6 milhões pelo simples fato de serem Judeus. Hermann Göerin, em Nuremberg, chegou a dizer que se sentia na obrigação de defender Adolf Hitler e seu orgulho, pois se estivesse lá, sendo julgado com eles, teria dito: “eu sei as ordens que estou dando, e assumo a total responsabilidade“. Usando uma ampôla suicida da SS, e dando um tiro no céu da boca, não dá para acreditar que Hitler, realmente, quisesse assumir alguma responsabilidade… É esse o “grande herói” dos Neo-Nazistas. Já tive o desgosto de ouvir dizerem que, quem  ganha a Guerra conta a história da forma que lhe convém, citando o Iraque como exemplo. A História diz exatamente o contrátio e, naquela época mesmo, quando foi decretado o fim da Guerra na Europa, os Estados Unidos entendeu que o que sobrou da Liderança Nazista, e todo o Regime deveria passar por um Processo, “batendo de frente” contra a vontade de Churchill e Stálin, que era o simples fuzilamento deles. Com ampla documentação, fotos, imagens dos Campos de Extermínio, de Trabalhos Forçados e de Concentração (facilmente encontráveis pelo You-Tube!), além das mais eloquentes provas testemunhais, os sobreviventes, Judeus e Não-Judeus (muitos vivos até hoje), além de muita “papelada” – Registros e Documentos Oficiais, de tudo que foi feito durante a Ditadura Nazista – surgiu o Tribunal de Nuremberg, outrora cidade sagrada do Nazismo, onde todo o horror Nazista foi mostrado, julgado e condenado.

    ADOLF  HITLER foi um monstro, como todo Ditador. Provavelmente, o maior e ,certamente, o mais covarde assassino que a humanidade conheceu. Suas idéias e doutrinas devem sem combatidas sempre, pois acredito que a humanidade não suportaria sobreviver novamente a tais momentos. Termino aqui, esse breve estudo sobre esse grande covarde, com as sábias palavras de Sir Winston Churchill, quando se dirigiu à Camara dos Lordes, no exato momento que assumiu o posto de Primeiro-Ministro: “Se o sr. Adolf Hitler decidir fazer uma invasão ao inferno, eu virei aqui fazer uma menção honrosa ao diabo!”.

Anúncios

1 Response to “O SUICÍDIO DE ADOLF HITLER”


  1. 1 José Alves
    dezembro 10, 2012 às 2:42 pm

    Excelente!Parabéns!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.


%d blogueiros gostam disto: