21
maio
16

Rússia começa, em Cuba, sua estratégia de “reativar” a Guerra Fria


CUba de CRÚ é RÚSSIA !!!

O Siri Reporter (Marco ASA)

Imagem O ministro de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, começou sua viagem na América Latina por Cuba

(BBC) – Enquanto a Rússia anunciava na terça-feira seu “alarme” devido à mobilização de tropas da Otan perto de suas fronteiras – um reflexo da crise no leste da Ucrânia, onde ativistas pró-Rússia ocupam prédios do governo ucraniano em várias cidades -, o chanceler russo, Sergei Lavrov, embarcava em uma viagem internacional oficial.

Mas o destino não era Kiev nem conferências de paz para eliminar a crescente tensão na região, mas sim a América Latina. Sua primeira escala foi em Cuba.

O que faz o ministro de Relações Exteriores russo pelo continente, em pleno auge da pior crise entre Rússia e Ocidente desde a Guerra Fria?

A resposta oficial da Chancelaria é que Lavrov faz uma viagem por Cuba, Nicarágua, Peru e Chile nesta semana para “aprofundar questões relativas à cooperação bilateral” e “revisar acordos…

Ver o post original 761 mais palavras

Anúncios
18
maio
16

Look do dia: Xadrez vermelho + bota Over Knee


XADREZ NUNCA SAI DE MODA !!!

achadochique

Olá Meninas!

Hoje mostrarei um look que estou in Love!  O Xadrez, sendo vermelho que é a uma das minhas cores preferidas virou para mim o hit da estação, a saia sairá quase andando sozinha no final deste outono inverno.

Ainda mais com a bota over Knee, para todas saberem é a bota que chega até acima do joelho, queridinha da estação e além de super versátil, quentinha e útil!

Para agora que  a temperatura de SP resolveu baixar de vez, o look pode ser usado com meia preta ainda e casacão por cima para não passar frio nem um poquinho.

Vamos ver  como ficou a combinação?

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????
???????????????????????????????

Créditos:| Blusa: R$39,90 Caedu  | Saia: R$ 49,90 C&A | Bota: R$ 100,00 C&A | Acessório: R$ 1,99 da marechal|

Ver o post original

18
maio
16

De namorados a sabonete de leite materno: 10 itens incomuns à venda online na China


NEGÓCIO DA CHINA !!!

O Siri Reporter (Marco ASA)

Imagem

(BBC) – O Taobao é um dos maiores sites de comércio online do mundo, uma espécie de combinação do site de leilões eBay com o de vendas Amazon. Gigantesco, seus 500 milhões de usuários registrados vendem, em média, quase 50 mil produtos por minuto.

O site tem duas áreas distintas: o TMall, onde donos de marcas conhecidas vendem diretamente para consumidores, e o Taobao Marketplace, onde companhias menores montam suas “bancas” virtuais.

No dia 11 de novembro de 2013, quando o Taobao fez sua liquidação anual, vendas totalizando 1 bilhão de yuan (US$ 161 milhões) foram realizadas em apenas seis minutos. O total de vendas no dia ultrapassou os 35 bilhões de yuan (US$ 5,6 bilhões).

Com mais de 800 milhões de itens anunciados, existe tudo que é tipo de produto no Taobao, inclusive alguns bastante inusitados.

Confira alguns dos produtos que estão disponíveis no site.

1. Drone

Em novembro…

Ver o post original 1.123 mais palavras

17
maio
16

CAUBY PEIXOTO por CARLOS PIMENTA


o-cantor-cauby-peixoto-se-apresenta-no-bar-brahma-em-2006-desde-2002-cauby-fazia-shows-regulares-no-classico-bar-na-esquina-da-av-ipiranga-e-sao-joao-1425342388854_956x500

     NASCER NO RIO DE JANEIRO É REALMENTE UM PRIVILÉGIO! Vamos fazer um tour, através de lembranças, música e Arte: 1982, minha lembrança mais antiga do Cauby, propagandas na Rede Globo, do lendário “Un, Deux, Trois” do Chico Recarey, na zona sul do Rio, anunciando o show do Cauby: limitava-se a isso: “Un, Deux, Trois apresenta: Cauby Peixoto!” e ele cantava uma parte da antológica “Bastidores” – dava-se o telefone para reservas e finalizava: “Realização: Chico Recarey!”. O Cauby foi o primeiro “Cantor de Churrascaria”, logo, tantos amigos que cantam na Noite, comoRodrigo Chaudon, Flávio Farias, e o recém chegado Marquinhos Gusmao, saibam que quem começou o que vocês digna e magnificamente fazem foi o Cauby… Em 1993, comecei pra valer a fazer todas as imitações, que eu tenho até hoje. Minha Comadre Ana Reis, na época minha Professora de Matemática, que se acaba de rir comigo, me pediu o Cauby, mas eu não o imitava bem não… 12 de junho de 1993, a Claudia Roessing, nascida dia 1°, celebrou seus 15 anos no meu 12 de junho, estávamos todos lá: Raquel Lenti deve lembrar disso: a Ana Paula Petty e eu, no Karaokê cantando ‘Ronda” – e eu imitando o Cauby… Mas, nunca fora uma boa imitação, até 1996, quando ele foi ao programa da Hebe Camargo: a câmera deu um close no rosto dele, enquanto cantava. Foi quando eu descobri “o segredo”:

cena-de-cauby---comecaria-tudo-outra-vez-do-diretor-nelson-hoineff-1432764012326_956x500

O Cauby já não tinha potência na garganta, então ele usava um recurso, que cantores e atores como eu conhecem muito bem: a caixa vocal! Aquelas caretas que ele fazia, não eram meras frescuras, eram consequência do uso da caixa vocal, mais N plásticas. Eu, que estava gravando no video cassete a performance, voltei a fita, olhei duas vezes e fui para frente do espelho do banheiro: e, desde então, imito o Cauby Peixoto na sua plenitude! Uma vizinha nossa, a Marlene, que fora “Macaca de Auditório” da Rádio Nacional deu uma forcinha nisso, avaliando minha imitação; ela era apaixonada pelo Cauby! Andreia Miranda e eu, em nossas viagens de turnê das Peças do Jurisdrama, dávamos um show à parte: ela fazia um vocalize que lembrava a Ângela Maria, e eu fazia o Cauby: Uberlândia, Governador Valadares, Belo Horizonte e São Paulo acordaram ao som de “Babalu”… Em 1998, comprei o Box dele, com o melhor da sua Fase de Ouro,quando ele tinha “o vozeirão”.

13084074_1144218155612034_1805774217_n

   Carlos Pimenta versão Cauby Peixoto- 2000.

      Mas, em 1997, quando estreei no Teatro como Produtor, onde fui Ator de “As Preciosas Ridículas”, meu personagem era absolutamente a imagem do próprio Cauby: a peruca era a mesma, e meu figurino de época, lembrava as roupas de show do Cauby: Marcos Rogério Santana Virgens, Doralice Da Silva Simões,Carlos Henrique Martins Gonçalves, Carlos Ferreira, Tathyana Costa,Tatiana Mele, Adilson Sacramento, Rubens Lopes Freire Junior e um sem número de pessoas devem se lembrar disto, esspecialmente em 1999, na minha Produção Teatral “O Crepúsculo dos deuses”, onde eu imitava o próprio Cauby, cantando “Sing in the Rain – Cantando na Chuva”. Em 2003, em um churrasco de um amigo, o Wagner, eu passei no “teste de fogo:em mais um Karaokê, eu cantei ‘Se todos fossem iguais à você!”, imitando ao mesmo tempo o Agnaldo Rayol e o Cauby: no fim, todos aplaudiram, mas os aplausos eram “demais”, onde estavam os demais que aplaudiam? Pasmem, toda a coluna do edifício, que dava para aquele lado onde estávamos, das janelas, me aplaudiram!

download

Então, em 2004, Paulo Henrique Ferreira me levou ao show do Cauby, no Teatro Rival: Bete Mendes, Marília Pêra e Tônia Carreiro na Patéia – a Tônia gritou “Gostosão!” para ele, e desde então, faço o mesmo, inclusive quando alguém muda a foto do perfil aqui no Face! – o show foi MARAVILHOSO, junto com a Selma Reis no Palco… Fui N vezes à São Paulo, mas nunca dei uma chegadinha lá no Bar Brahma, para conhecê-lo, finalmente… Jô Fontes teve este prazer, e ficávamos horas falando dele… O grande erro que cometemos sempre: nunca imaginamos que as pessoas partem, quando não somos nós mesmos quem fazemos isso…

13055344_1119460131407595_1548317881154104742_n - Cópia

Em 2007, dei ao Marcelo Daguerre uma fita K7, com um show do Cauby gravado em SP, o qual Hugo Freitas também ouviu: a fita, por muitos anos, fora meu material de trabalho, para melhorar minha imitação, que recebera do Daltinho Medeiros a mais detalhada análise e elogio. Uma análise de quem conhece mesmo música: ele foi ao cerne do trabalho do Canto, que eu absorvi daquele K7. Em 2009, Fabio Lotus e Carlos Ferreira me contrataram, para trabalhar na Noite, com minhas imitações, e uma vez fiz o Cauby, com roupa e tudo mais. As pessoas, da rua, olhavam e pensavam que se tratasse do próprio, e entravam no Bar, e acabava que ficavam. O Fábio, então, me colocou na porta do Bar, como “‘chamaris” – KKKKK !!! – como tirei fotos, naquela Noite… Quando reencontrei o Marcos Rogério, em 2013, ele veio até minha casa, passar uns dias: a trilha sonora foi Cauby Peixoto…

lp.frente.JPG

Em Niterói – aterra Natal de Cauby Peixoto! – em cada show de algum amigo Cantor, meus 15 segundo de Fama como Cauby estavão sempre garantidos – Sueli Thomaz, Lucia Paes de Andrade, Douglas Cordeiro, Olivia Pontes  e Luciana Medeirospodem atestar isso! – nosso eterno Marcos Cid também adorava esta minha imitação! Uma vez, no Trevo de Piratininga, em uma certa roda de mulheres – todas clichês demais! – dizia-se que “Chico Buarque é quem entendia da alma feminina!”, entre suspiros eróticos artificiais. Então, eu perguntei: “Você realmente pensa isso, ou está apenas igual a um papagaio, repetindo o que os outros falam?”. Ela não gostou, e me perguntou à queima-roupa: “E, o que voê entende de Chico Buarque: Duvido que conheça uma única músiva dele!”. Então, imitando o Cauby, cantei um refrão de ‘BASTIDORES”, ao que a afetada disparou: “Mas, isso é Cauby Peixoto!”- com tom de voz desdenhante! – “Isto não é Chico!”, e mais um gemido. O que a deslumbrada não sabia – lógico! – é que, quando Chico Recarey contratara o Cauby, para os shows nas churrascarias, no final dos Anos 19979, o Cauby que ficara naquela década meio longe da mídia – os grandes artistas da Era do Rádio também tiveram este destino, naqueles anos – Cauby encarou aquela empreitada, onde ele iria de encontro onde o público estava, como um “Retorno”, e pedira ao Chico Buarque para lhe fazer uma música, “bem Cauby”, para este retorno: em menos de uma semana, surgia “Bastidores” que, junto com a eterna “CONCEIÇÃO” são os cartões de cisitas do maior Cantor do Brasil.  Somente os Grandes possuem estas atitudes: Cauby procurou, certa vez o ROBERTO CARLOS, e lhe pediu a permissão para gravar uma das músicas dele, que ele gostava. Roberto Carlos disse: “Ora, grave o que você quiser! Não precisava nem me pedir, afinal, você é o Professor!”, ao que Cauby aquiesceu com a cabeça, um leve sorriso, e disse: “É, eu sou o Professor, mas você É O REI…”…  Cheguei a me apresentar à um casal, em seu aniversário de casamento, porque eles se conheceram em um show do Cauby… Minha segunda imitação mais pedida, e assim será ainda, por muitos e muitos anos… Gostou da história, Mariza Lemos?… Segue um pouco, do que tenho ouvido aqui em casa, desde ontem:

17
maio
16


Feiras de livros são oportunidades fantásticas para conhecer todos os tipos de autores, de todos os gêneros e lugares. A Feira do Livro de Madri, cidade onde moro, dura 22 dias e, normalmente, traz um país convidado. Esse ano: a França. Isso implica que teremos a oportunidade de conhecer autores franceses contemporâneos. Já contei que […]

via Está chegando: 75ª Feira do Livro de Madrid (com uma “pitada” de desânimo) — Falando em Literatura…

31
mar
16

COLÉGIO DA MABE – 95 ANOS – PARTE 1


550623_466710026696187_117013970_n

EU SEI QUE, nos últimos anos, eu tenho me reportado diretamente a inúmeros corações de confrades meus, todos ex-alunos da MABE, tantos quanto eu, em orgulho e amor. Hoje, mãos trêmulas digitam este texto. E, um único pedido ao nosso bom Deus: que, sob o mais profundo sentimento de GRATIDÃO,  a minha memória não se perca!

Daí, a razão de ter optado, por dividir em “partes” esta minha resenha anual.

149050_165820343451825_6177640_n

     IGUAL A TODOS VOCÊS,  a minha emoção é absoluta: neste 2016, fazem 10 anos que as minhas filhas começaram sua vida escolar. E, este início começou dentro da nossa casa. Eu digo nossa casa, porque nunca me senti de outro modo lá. Conhecia a tudo e a todos, era-me permitido ir a qualquer parte das dependências do nosso prédio. Vocês sabem: isto não era um privilégio meu…

12191392_1039901066043744_330748755240022096_n

     MEU RETORNO OFICIAL À MABE, como ex-aluno, com todas as funções que um ex-aluno arcava no estabelecimento – em 95 anos, nós fomos muitos ex-alunos ativos, na vida diária do colégio! -foi em 2005, participando do único corpo da MABE, da qual sempre fiz parte: o Teatro de Amadores da MABE. Foi impactante! Todas as gerações, de alunos e ex-alunos ali, no mesmo eterno Palco. Rostos, conhecido e queridos por todos nós, por tantos anos…

1424479_664252786941909_1396870028_n

     NUNCA FIQUEI AFASTADO DA MABE, isto seria humanamente impossível. Os vínculos de amizade, os laços de afeto cada dia mais apertados. O Tempo passa, um Mundo Cão mostra seus dentes, fica apenas as coisas de real valor, aquelas que dão paz e esperança ao coração… Assisti todas as Peças, assisti a todos os Ballets… Estes, eu até assistia a alguns ensaios. Todos os anos, dei flores à Jô Fontes, até que um ano, fiz diferente: dei uma roseira. Por alguns anos, nosso assunto foi esta roseira, que crescera linda na casa da família Fontes, em um lindo vaso. Um dia, a Jô me telefona, para “informar” que Bob, o cachorro do prof. Roberto Fontes, havia destruído o jarro, e a roseira junto…

535587_212604092175889_1236062343_n

     NÃO PRETENDO FALAR  HOJE da MABE que eu conhecia, dos Anos 1990 para trás, seria honestamente “chover no molhado”. E, é aí que coisas maravilhosamente interessantes aconteceram. De início, o Professor Fernando Fontes me deu a incumbência de comandar a Quadrilha da tradicional Festa Junina Mabeana. Deus sabe, como aquilo representava para mim! A primeira vez, que eu havia me apresentado em público, com minha mais tradicional imitação, mais ainda, dirigindo meus colegas, em uma esquete de “Casamento na Roça” escrita toda por mim, foi exatamente em 26 de junho de 1993, em uma Festa Junina.. E, o duplo desafio: eu comandaria a Quadrilha que, uma vida inteira, nós todos vimos ser brilhantemente capitaneada pelo ímpar Sr. GONZAGA!

     FRANCAMENTE? Eu amei cada quadrilha que comandei -em especial as dos anos de 2009 – uma Quadrilha muito especial, composta por filhos e netos de amigos dos dias de escola, professores, funcionários e famílias antigas da MABE, dos meus dias de aluno! – e 2011 – lógico, a primeira Quadrilha da minha filha mais velha! – mas, “‘substituir”‘ o Gonzaga?! Impossível! Doralice Simões e Tatiana Mele sabem, como foi para mim, cada ano a frente da Quadrilha. Na primeira vez, perguntei à  nossa amada Dora, como eu faria um “Coronel”. Argumentei que aquele papel ERA o Gonzaga, e não eu, o que eu deveria fazer. A Dora, com um sorriso no canto da boca, me perguntou: “Quantas Quadrilhas o Silvio Santos comandou?”. A Mele foi mais taxativa: “Faz o Silvio!”.

     BOM PÚBLICO DA MABE: sempre me aguentaram…

409592_514018805298642_547674429_n

     ESTA FOTO exemplifica bem essa incrível Quadrilha de 2009: o Vinícius, filho da Doralice, era o Noivo. De braços dados com a Dora, percorri toda a Quadrilha, dizendo quem era quem ali. Já havia dito, antes, que a Quadrilha era especial. Quando cheguei no Noivo, disse, com entusiasmo: “Ah! Esse aqui, já sentou muito no meu colo!”, gargalhadas mil! Joyce, a filha da Tatiana Villela – a Madrinha deste Blog, que estudou comigo em 1993! – fez parte também desta Quadrilha. O ápice da emoção foi ver, de repente, o Juan ali, na Quadra Coberta, rindo para mim! Naquele dia, ele passava pela rua do Riachuelo, viu a movimentação da Festa Junina. Decidiu entrar. Segundo palavras dele: “Quando entrei, e ouvi a voz, eu disse: ou Carlos Pimenta está na quadra, ou a MABE virou fábrica de imitadores do Silvio Santos!”… E a Vida, sempre nos brindando com alegrias e tristezas: em 2006, quando eu havia acabado de realizar, com muito êxito, a condução da Quadrilha, exatamente na hora que desci do Palco, quando saí da Quadra Coberta, o Professor Fernando Fontes vem até mim, e diz: “o nosso Gonzaga acabou de falecer. Acabei de saber.”…

Niver Ariel (99).JPG

     MAS, COMO DISSE ANTERIORMENTE, represento aqui, na pessoa do ARIEL toda uma juventude, que tive o prazer de conviver algum tempo, todo muito preciosos para mim! A IANE COUTINHO se encarregou de me inserir naquele contexto novo. Uma juventude que me recebeu muito bem. Nunca fui mais velho, sequer um pretenso orientador. Eu era simplesmente MAIS UM… LUYRA, VINÍCIUS, AMANDA BARRETO, sem me esquecer jamais da inesquecível AMANDA, que dos céus nos acompanha…

     Passava parte das minhas tarde da semana na MABE. Ensaiava os meninos, então almoçava com a Diretoria. Ficava sabendo ali o que o Professor Fernando Fontes desejava, e o deixava a par dos acontecimentos. Ele era muito atento, perfeccionista em detalhes, deixando-me sempre muito à vontade, no desempenho das funções dadas a mim. Conversávamos muito sobre Teatro também. Então, passava na Biblioteca, porque uma boa conversa com Sônia Bouças era o melhor investimento do tempo! Quando a Sônia não estava, eu conversava com o Professor Antônio Sá… Conversava, é modo de dizer, porque eu ria demais com o Sá! Só me acha engraçado, quem nunca na vida conversou com o Sá!

     Quando a Doralice não estava dando aula, nós andávamos pelos corredores, parávamos naquele saudoso banco de pedra, abaixo da mangueira, e conversávamos… Doralice e sua família sempre foram pessoas muito caras para mim. Mas, naquele 2006 conturbado, para mim, ela foi especial! Tatiana Mele, eu sempre a incomodei no trabalho dela… Eu e meio mundo: é o que dá, tratar bem as pessoas!

     Quando o Ballet ensaiava, assistia um pouco do ensaio. Nas quintas- feiras, batia um longo papo com o Carlos Peixoto, o Psicólogo, que estava sempre disponível ali, todas as quintas. Então, antes de ir embora, passava na sala do Professor Roberto Fontes.

     Um antigo costume ainda reinava na MABE: os alunos, de diferentes turnos, se encontravam na MABE, em vários horários. A MABE continuava a ser o centro da Vida, dos jovens estudantes, fosse por causa de trabalhos escolares, prática esportiva, Ballet ou simplesmente, estar em um lugar seguro e confiável.

     UM MUNDO, de boa gente trabalhava ali: quem não se lembra, das inúmeras vezes, dos funcionários da manutenção, limpando constantemente as folhas secas, das muitas árvores, que nosso amado colégio tinha?

     EU CONHECIA TODAS AS PESSOAS ALI, e já há muitos anos! Especialmente as Professoras que minhas filhas tinham e viriam a ter. Mas, eu nunca as incomodei com qualquer tipo de pergunta. Pra que? Existia ali, a melhor pessoa do Mundo, para olhar e até orientar nossos filhos ali:

10438_466715143362342_1000505076_n

     O SR. FERREIRA! E digo mais: O SÉRGIO, a pessoa com quem mais me afeiçoei nesta época, vivia brincando com minhas filhas, chamando-as de “Pimentinhas”…

     E, FALANDO DE IMPORTÂNCIA, falo agora de algo, que me encheu de profundo orgulho, que eu simplesmente amei fazer: o Professor Fernando e o professor Roberto Fontes deram-me mais uma tarefa, no rol das tarefas de um ex-aluno da MABE: de 2006 a 2011, para as Turmas Formandas de C.A. e 1ª Séries, os Diplomas conferidos foram entregues em Cerimônia, pelas Professoras das Classes, nossa amada ANA CATALDO e eu…

     POIS É, o Carlos Pimenta ali, junto do Corpo Docente, distribuindo os Diplomas mais importantes, da Vida daquelas crianças: o de Alfabetização!  A Ana Cataldo e eu nos divertíamos horrores, com “as bobagens” que cada ano eu decidia: no ano em que o Fluminense fora campeão brasileiro, eu “tinha decidido” que quem era Tricolor não ganharia Diploma, e “bati boca” com as crianças; na polêmica eleição do Tiririca, eu garanti que aquelas crianças iriam muito mais longe na Vida, pois os Diplomas estavam ali, nas minhas mãos…

     NAQUELA ÉPOCA, algumas crianças diziam que eu era “o Presidente da MABE”, porque era eu quem dava os Diplomas! Eu ria muito disso! Também nunca disse que não era: eu dizia que ficava um ano inteiro “no meu escritório” – que era o quarto onde o Sr. Gonzaga e os demais vigilantes da noite descansavam! e, uma vez ao ano, eu saía, para dar os Diplomas. E, enquanto “Presidente”, perguntava se estavam se comportando e estudando bastante… E, lógico, sempre pensei a mesma coisa: que pena, estas crianças não terem a oportunidade de ter conhecido o eterno Diretor Geral da MABE, Dr. JOSÉ SEBASTIÃO FONTES, homem que Deus me permitiu ter uma convivência diária… Vocês não sabem,mas quem me ensinou a vestir bem um Terno, foi o Dr. José…

     JUNTO DO TEATRO, esta entrega de Diplomas foi o que eu mais amei ter feito, nas dependências da MABE: de tantas crianças, lembro-me de ter entregue Diplomas aos filhos da Rosely e da Adriana, prima e irmã do Clóvis Matos, que estudou comigo, elas eram contemporâneas minhas; o filho mais novo do Professor Antônio Sá, a neta do Pastor da minha Paróquia, a filha do Professor Flávio Haroldo, os netos da família Alvarez, uma das mais antigas da MABE, e sem dúvida alguma, as entregas que mais me emocionaram: os Diplomas das minhas duas filhas…

1472896_664260916941096_968437236_n

     DIGAM -ME: EM QUE OUTRO LUGAR DO MUNDO, UM PAI TERIA ESTE PRIVILÉGIO? Apenas neste lugar lindo, maravilhoso ao seu jeito, onde tantas Debutantes dançaram seus 15 Anos, onde Sonhos e Dramas típicos da Juventude, Gerações estudaram e fizeram seu filhos e netos estudarem também…

     A MABE...

    Por hoje, eu não posso escrever mais…

1486913_465478520224033_1264255904_n

      A GILBERTO (PATINHO) E ARNALDO, grandes ex-alunos, que a minha Geração aprendeu a amar, respeitar e se deixar influenciar: como nunca, hoje meu coração é de vocês! Eu acredito que nosso JORGE NELSON também está feliz hoje, nos acompanhando do Céu…

555548_207178689385096_1493481240_n

A TODOS OS EX- ALUNOS DA MABE: PARABÉNS POR ESTE DIA! 

Aquele Abraço!

15
out
15

dia do professor – 15 de outubro de 2015


15 de outubro, uma data que, no meu entender, perde em importância apenas para o 7 de setembro, a Data Nacional.

escola

Professor, isto não é profissão, mas sim um ato de amor, um legítimo sacerdócio!

     Quem não cola não sai da Escola, e hoje, com as minhas palavras limitadas, vou provar que, até hoje, continuo sentado na minha carteira, de olho no meu professor…

     Sou sobrinho e filho de Professoras. Minha reverência vem de casa…

     Gosto apurado na MPB, as “Tias” do C.A., das primeiras séries do Primeiro Grau me botaram pra cantar Toquinho, Gal, Vinícius, Bethânia, Elba Ramalho, Gonzagão…

     Uma Cultura Geral avassaladora, que carrego comigo até hoje – cantei em dialeto africano, conheci o Bolero de Ravel, aprendi Inglês e Francês, a Arte Moderna, aprendi Percussão, no Primeiro Grau só não aprendi Matemática… Professores inesquecíveis, foi quando descobri que o que eu tinha ali, na minha frente, era uma pessoa, carne e osso, cheio de sonhos, ideais, esperanças, expectativas: gente como a gente que eu tinha lá em casa…

     O Segundo Grau, sem dúvidas, o auge da minha vida: os Professores me davam os 15 minutos finais de suas aulas, só para eu fazer minhas imitações. Eles me estimularam demais a seguir no Teatro, continuar escrevendo…

    Maquiavel, Monthy Phyton, Allan Poe, Machado de Assis, e a tentativa heroica de me fazer aprender Matemática: dois destes meus adorados professores se tornariam Padrinhos das minhas filhas…

     No Terceiro Ano, só incentivos para seguir carreira no Teatro. O Professor de Filosofia me daria, em razão disto, “O Cômico”, de Bérgson, uma das maiores contribuições para minha vida… Na minha primeira produção, tantos deles lá, na minha plateia…

     E, tantos outros Professores, anos a fio, bem recebidos em meus Teatros, com seus alunos a tira colo…

     Vários Cursos, Universidade, vários Professores… Se depender de mim, estarei sempre rodeado deles!

     Todo Mundo pode ser qualquer coisa, desde que tenha o auxílio de um Professor!

Minha eterna gratidão. Carlos Pimenta: PRESENTE!




setembro 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.


%d blogueiros gostam disto: